domingo, 31 de agosto de 2008

Para muitos amores

Meu bem,
Te escrevo de novo. Agora sobre outro assunto. Sabe o que é, não tá dando não. Eu sei, eu sei, não tinha como as coisas ficarem do jeito que estavam. Mas assim também não tá rolando.
Sinto meu peito apertado por saudade de ti. Não sei mais que fazer. Te esquecer? Não é o que. Sonho todas as noites em te encontrar de novo. Te beijar, te abraça - ah, o teu abroço - dormir contigo. Saudade até do que não vivemos. Saudade daquela noite que podiamos ter passado juntos mas eu preferi que não.
Essa palavra - saudade - exclusividade da nossa lingua diz-se de um sentimento um tanto quanto estranho. Colocando-a no Google, o ser que tudo sabe, a primeira coisa que nos aparece é: Frases Sobre Saudade. Há algumas bem clichês, outras nem tanto. Mas nenhuma explica de verdade esse sentimento que me aflige tanto.
Calma, relaxa baby, eu sou mesmo um pouco dramática. Não estou sofrendo tanto assim. Mas sua lembrança, de fato, não sai de mim. Sinto vontade de compartilhar meu dia com você. Passo pelos lugares que passamos, revivo certos momentos, relembro de conversas e a dorzinha no peito não vai embora.
Não saber quando irei te ver novamente me deixa triste. Me faz pensar que fiz bem, telvez, de não deixar me envolver ainda mais. (Será que consegui, amor?) Não sei o que será de nós. Não sei nem se um dia já existiu, ou se existirá.
Sei que você se foi.
Sei da saudade.
Do que vivemos e do que podíamos ter vivido.
Sei que te amo, baby, e te amarei ainda por muito tempo.
Por mais que.

Um comentário:

Prometeu Acorrentado disse...

pois é, reprise, editado e com retoques.
gostei muito desse seu tb.
bjo