quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Você,
Eu te entendo. Sei que tem coisas que não são fáceis de aceitar. A gente às vezes passa por momentos assim, de revolta, de não entender o por que de tantas coisas.
Mas, ó, passa, viu?
Você tem que parar de tentar se destruir. As coisas já deixaram de ser draminha para ser coisas séria. Você tá se atrapalhando, se destruindo, se matando. Não faça isso, baby. Você não merece.
Às vezes penso no que poderia fazer para te ajudar. Ainda não consegui chegar a conclusão nenhuma. Até por que não acredito que eu possa. Realemente acredito naquela história de só você pode se ajudar.
Então, bola para frente que atrás vem gente.
Não tem como parar no meio do caminho, amor, a vida segue, não espera a gente. Vai viver, vai. Pára de sofrer pelo que não é preciso sofrer. Você é forte. A vida já te mostrou isso, você sabe disso, eu sei disso. Não há tempo para ser adolescente revoltado de novo. Você não precisa disso, já passou dessa fase.
Baby, não se lamente. Há muitas coisas piores por aí. Você só precisa organizar as suas, colocar a casa em ordem que o resto a vida ajeita.
Vamos?
Não, não é fugir. É encarar isso de frente. É se enxergar no espelho sem vergonha de ser quem você é. É ter coragem de mudar o que você é, mas não gosta de ser. Não posso fazer por você, meu amor, mas posso te dar a mão se você quiser.
Vamos? Você precisa disso.
Eu te dou a mão e não saio do teu lado.
Eu juro.